Casta impede proposta de Dalit para construir casa em Kerala

Famílias de castas superiores em um vilarejo de Kerala impediram uma mulher Dalit que havia recebido terras ali de descarregar material de construção para construir uma casa, e a polícia do estado e o governo de esquerda supostamente se recusaram a ajudar por oito meses.

Chithra, a mulher, disse que a primeira carga de blocos de cimento acabou sendo descarregada na quarta-feira por intervenção do Thrikkunnapuzha panchayat, governado pela oposição, que agiu sob pressão de ativistas dalit.

A atrocidade de castas ocorreu em Pallana, uma vila no distrito de Alappuzha que tem um memorial ao poeta reformador social Kumaran Asan, que se afogou em um acidente de barco no remanso local em 1924 e foi cremado lá.

“Estou muito feliz hoje”, disse Chithra a repórteres, acrescentando que visitou a delegacia de polícia local e escreveu ao ministro-chefe, diretor-geral da polícia, funcionários da receita e ao departamento de desenvolvimento de castas programadas nos últimos oito meses, mas não recebeu ajuda.

Moradores do bairro de casta superior em Pallana “não queriam que a área se tornasse uma colônia de dalit”, temendo que se Chithra pudesse construir uma casa de pucca, mais dalits desabrigados pudessem ser distribuídos na área, disse ela.

A localidade é o lar de extensões consideráveis ​​de terras governamentais abertas.

Chithra, uma diarista com um marido acamado, Dhanesh, e dois filhos menores moravam em acomodações alugadas em uma vila próxima, mas receberam 5 centavos (2.175 pés quadrados) de terra em Pallana no ano passado sob um esquema do governo para pessoas que não possuem casas.

No início deste ano, o governo do estado sancionou Rs 4 lakh para ela sob o esquema de habitação da Missão de Vida e enviou a primeira parcela de Rs 40.000 cerca de oito meses atrás. Mas quando dois caminhões que Chithra havia alugado chegaram com areia, pedras e cimento, os vizinhos os obrigaram a voltar.

“Três famílias causaram todo o problema, lançando insultos de casta e impedindo o descarregamento de material de construção”, disse Chithra.

A família agora vive no terreno cedido, em um galpão com telhado de zinco sustentado por estacas de madeira e um banheiro improvisado. A área de baixa altitude é inundada todos os anos.

A sorte de Chithra mudou depois que a ativista Dalit Mohan levou sua história à mídia local alguns dias atrás.

Uma mulher Dalit, Sujatha, e um Dalit com deficiência física, Anshad, também receberam 5 centavos de terra cada um perto do terreno de Chithra. Vendo a provação de Chithra, eles até agora não fizeram nenhuma tentativa de construir uma casa.

O porta-voz do Congresso Estadual Pandalam Sudhakaran criticou o governo.

“De que renascimento social estamos falando? Em dois dias vamos comemorar o 85º aniversário da Proclamação de Entrada no Templo, com nossos líderes usando isso como mais uma oportunidade de foto”, disse ele a este jornal.

Os não-brâmanes, que representam mais de 95 por cento da população hindu de Kerala, foram impedidos de entrar nos santuários dos templos até a proclamação de 12 de novembro de 1936, uma culminação dos esforços do líder espiritual e reformador social Narayana Guru para acabar com o sistema de castas opressivo de Kerala.

Sudhakaran citou como a pesquisadora de doutorado dalit Deepa Mohanan sofreu uma greve de fome de 10 dias em Kottayam alegando assédio de casta pelo diretor de seu instituto.

“Temos muito mais Deepas em Kerala, que é um chamado estado progressista. Aqueles que cometem tais atrocidades devem ser presos sob acusações criminais”, disse Sudhakaran.

O ativista de direitos humanos CR Neelakandan também disse: “Tais atrocidades de castas acontecem regularmente em nosso estado porque muito poucos perpetradores são punidos”.

No ano passado, descobriu-se que dalits em uma aldeia de Idukki estavam sendo negados cortes de cabelo em barbearias frequentadas por homens de castas superiores. Em janeiro deste ano, a recusa de um crematório público de Palakkad em incinerar o corpo de uma mulher dalit revelou outro esqueleto.

Os dalits foram banidos do templo Shri Jatadhari Devasthanam em Kasaragod nos últimos anos depois de protestarem contra a discriminação de castas no santuário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *